Livros e Publicações Preste Atenção! Reportagens Especiais Caricaturas Parceiros Destaque Coberturas Entrevistas Lançamentos Home
Entrevista: Alexandre “Dumbo” Gonsalves (MX)

Postado 24 de fevereiro de 2015 às 20:43

Share |

“Para nós é motivo de muita alegria. Por um bom tempo achamos que isso jamais aconteceria. Ainda bem que estávamos errados, e os fãs não ficarão decepcionados conosco” – Alexandre “Dumbo”  Gonsalves

Por Thamy Melo

Se houve uma vertente que cravou forte suas raízes em nosso país, essa foi o Metal Extremo. Ricas são as bandas de Death, Thrash Metal e afins que nasceram no Brasil e se tornaram icônicas entre o público oitentista e dos anos 90. Algumas delas, reconhecidas internacionalmente, são parte ativa até hoje. Exemplos não faltam. Fato é que fazer música pesada aqui sempre foi complicado e fazer bandas sobreviverem nesse meio era um desafio. Muitas ficaram pelo caminho. Outras permaneceram inativas, resistindo ao teste do tempo e, felizmente, voltaram à ativa. Para a alegria dos fãs e pelo bem do meio.

O MX, proveniente do ABC Paulista e fundada em 85, faz parte dessa leva reativada. Desde 2012, Alexandre da Cunha (bateria e vocal), Alexandre ‘Morto’ (guitarra, baixo e vocal), Décio Jr. (guitarra) e Alexandre ‘Dumbo’ (baixo e guitarra), colocaram o pé na estrada, lançaram um novo álbum e dividiram palcos com nomes de peso.

Alexandre “Dumbo” conversou com o Hard And Heavy a respeito disso e outros temas, que podem ser conferidos logo abaixo!

HARD AND HEAVY: Em primeiro lugar, é uma honra entrevistar um dos ícones do Thrash Metal nacional! Depois de tantos anos fora da cena vocês finalmente voltaram à ativa em 2012 e no começo de 2014 presentearam os fãs com um incrível revival de temas clássicos da banda. Como estão sendo esses últimos meses desde o lançamento de “Re-lapse”?

ALEXANDRE “DUMBO” GONSALVES: Obrigado! Está sendo ótimo. Após o lançamento a oferta de shows aumentou muito e até tivemos problemas com agenda, sacrificando alguns, infelizmente, mas conseguimos fechar o ano de 2014 suando bastante a camisa.

 

HARD AND HEAVY: A ideia para esse álbum se mostrou bastante interativa. O que levou a banda a optar pela ajuda dos fãs e deixa-los participarem tão diretamente? Por que esse momento se mostrou mais propício a um álbum nesses moldes do que um com músicas inéditas?

ALEXANDRE “DUMBO” GONSALVES: Na verdade achamos melhor jogar a responsabilidade para o público, já que entre nós havia muita dúvida em relação a algumas músicas, então lavamos as mãos e passamos a treta pra alguém de fora rsrs! Como estávamos fora da cena há muitos anos, achamos prudente regravar essas músicas que só a velha guarda conhecia, e ao mesmo tempo proporcionar a elas uma gravação decente, pois sabíamos que aquelas músicas tinham muito mais a oferecer, pois a gravação antiga não consegue mostrar todos os detalhes que elas têm.

HARD AND HEAVY: Contem como foi para a banda regravar essas musicas.

ALEXANDRE “DUMBO” GONSALVES: As primeiras reuniões para relembrar as músicas foram uma comédia, cada um estava tocando de um jeito diferente do outro e não chegávamos num acordo, e várias vezes tivemos que recorrer ao Youtube para escutar, pois não tínhamos o material antigo na mão! Ridículo isso, mas é verdade.

 

HARD AND HEAVY: Há praticamente dois anos o MX voltou aos palcos com shows ao lado de bandas como Arch Enemy, Destruction e Attomica. Foi um retorno de respeito e mais que bem vindo! O que ainda podem comentar sobre a volta à estrada, a esse nível, depois de tanto tempo parados?

ALEXANDRE “DUMBO” GONSALVES: Sensacional, é só o que posso dizer. Depois de tanto tempo parados e ainda assim ter um reconhecimento a ponto de ser convidado para tantos eventos de peso é sensacional.

 

HARD AND HEAVY: Em outubro o MX tocou ao lado de mais um nome de peso: Exodus, em São Paulo, no Carioca Club. Como foi essa experiência?

ALEXANDRE “DUMBO” GONSALVES: Bom, pra você ter uma ideia, o Exodus é a banda preferida de todos do MX, junte isso como esse sendo o quarto show que fizemos juntos, e acrescente ser tratado pelos mesmos como amigos! Foi foda!

HARD AND HEAVY: Como tem sido a demanda de shows do MX desde o seu retorno? E para 2015, algo a se comentar?

ALEXANDRE “DUMBO” GONSALVES: Tem sido ótimo, desde shows em lugares pequenos como para grandes festivais, tá bem legal.

Em 2015 faremos alguns shows na América Latina, alguns já confirmados outros em negociação, e estamos compondo material novo, devemos dar uma tirada no pé em relação a shows devido ás composições. Não vamos parar, mas diminuir.

 

HARD AND HEAVY: Em entrevistas anteriores foi relatado que o MX chegou a receber convites para uma turnê europeia, o que acabou por não se concretizar. Com o retorno da banda, tão conhecida e influente entre o publico europeu, já surgiram novos convites ou planos para tocar lá?

ALEXANDRE “DUMBO” GONSALVES: Sempre há convites ou pessoas especulando e tal, mas estamos ajeitando as coisas por aqui ainda. Uma tour na Europa, no nosso caso que temos outras coisas em jogo é um tanto complicado para o momento, mas sim, a hora vai chegar!
HARD AND HEAVY: Vocês voltaram praticamente com a mesma formação inicial. Acredito que todo fã que já viu bandas que gosta se dividirem ou até mesmo acabarem, sempre sonha em rever a formação original reunida. Como vocês conseguiram concretizar essa reunião?

ALEXANDRE “DUMBO” GONSALVES: Pois é, só estamos de volta por esse motivo. Um amigo nosso estava fazendo algumas entrevistas com o intuito de lançar um documentário sobre os Headbangers do ABC e nos reuniu para tomar uma cerveja e bater um papo, resumindo, bebemos demais e resolvemos voltar com a banda, quando percebemos era tarde demais! rsrs

HARD AND HEAVY: Apesar do grande hiato da banda, vocês são parte da musica e do estilo há quase trinta anos. Que visão se tem sobre o desempenho de cada membro hoje em relação aos anos 80/90?

ALEXANDRE “DUMBO” GONSALVES: Por incrível que pareça e sem falsa modéstia, estamos tocando melhor que antes, a diferença é que hoje nos cansamos mais rápido, não sei por quê! Rsrs.
HARD AND HEAVY: Como vai o relacionamento atual entre os integrantes, como banda? O tempo de pausa prejudicou, ou mesmo contribuiu, em algo?

ALEXANDRE “DUMBO” GONSALVES: Contribuiu, pois obviamente somos mais maduros hoje, claro que existem as opiniões diferentes, mas na maioria das vezes conseguimos resolver de um modo simples: a maioria vence e ponto.

 

HARD AND HEAVY: Vocês sentem que a volta da banda atraiu novos fãs, que até mesmo a desconheciam, ou os fãs antigos se mostraram mais presentes? Conseguem mensurar isso?

ALEXANDRE “DUMBO” GONSALVES: Obviamente temos muitos fãs das antigas, até mais do que imaginávamos, mas a molecada tem nos recebido muito bem por onde passamos.

 

HARD AND HEAVY: No começo da cena metal no Brasil, as dificuldades em fazer música eram grandes. Acesso aos instrumentos, estúdios, shows, era uma realidade complicada. Hoje em dia, com a internet, quase tudo pode ser resolvido rapidamente com alguns cliques. Quais pontos positivos você enxerga nisso?

ALEXANDRE “DUMBO” GONSALVES: Acho tudo isso maravilhoso, desde que você consiga fazer ao vivo o que se fez em estúdio sem enganação, ok! Nada contra quem faz, e olha que eu poderia te dar uma lista de bandas que usam esse artifício, mas não é a realidade que está rolando ali em cima do palco, para o MX isso é importante!
HARD AND HEAVY: Com todas as facilidades em se fazer música hoje, as bandas que ainda estão em atividade carregam aquela mesma essência dos anos 80 e 90? Ou algo se perdeu pelo caminho?

ALEXANDRE “DUMBO” GONSALVES: As bandas mudam, as pessoas mudam e é difícil você manter a mesma fórmula sempre, uma pelo motivo que acabei de citar e outro pelo desenvolvimento natural das coisas. Claro que tem bandas que forçam esse desenvolvimento e outras simplesmente se deixam levar sem intenção de fazer de um jeito ou de outro. Vejo a cobrança com as grandes bandas que estão ai a mais de 30 anos que não fazem mais como antes e tal… Porra se fosse fácil teríamos mais delas por ai, mas estão acabando, claro que tem bandas boas começando, mas eu falo das realmente grandes, aquelas que revolucionaram uma geração!
HARD AND HEAVY: “Simoniacal” e “Mental Slavery” são álbuns clássicos do MX, que marcaram a cena e são referencia até hoje. Anos depois, no final da década de 90, vieram “Again” e “The Last File”, encerrando um ciclo. Como vocês podem comparar a fase dos primeiro e segundo álbuns com a fase dos terceiro e quarto?

ALEXANDRE “DUMBO” GONSALVES: Pois é, a década de 90 foi bem difícil para o metal em geral e nós na época do “Again” já não estávamos com a pegada de antes, os integrantes não estavam focados na banda, existiam outros interesses externos que nos puxavam e isso foi nos enfraquecendo cada vez mais. Tivemos ótimos momentos nessa época, mas foi ficando morno até que esfriou de vez. No “Last File” já não havia mais banda na prática, só na teoria rsrs. Foi composto e gravado pelo Dumbo e pelo Alexandre Cunha, por isso é um álbum muito diferente dos outros e não chegou a ter um lançamento digno, mas hoje é um CD muito procurado.

 

HARD AND HEAVY: Sobre novos trabalhos: tem um álbum de inéditas vindo por aí? Se sim, o que se pode esperar do MX em termos de sonoridade?

ALEXANDRE “DUMBO” GONSALVES: Sim, estamos compondo e vem porrada por ai, talvez um pouco diferente, mas é porrada do mesmo jeito!
HARD AND HEAVY: Novidades sobre a produção do documentário oficial da banda? Alguma previsão de lançamento para o DVD?

ALEXANDRE “DUMBO” GONSALVES: Devemos ter alguma coisa em paralelo com o álbum de inéditas.
HARD AND HEAVY: O MX encerra mais um ano em atividade. O que esse retorno e essa nova fase representam para a banda e para os fãs?

ALEXANDRE “DUMBO” GONSALVES: Para nós é motivo de muita alegria. Por um bom tempo achamos que isso jamais aconteceria. Ainda bem que estávamos errados, e os fãs não ficarão decepcionados conosco, escreve ai!
HARD AND HEAVY: Muito obrigada pela entrevista! Fica o espaço para deixar uma mensagem aos nossos leitores.

ALEXANDRE “DUMBO” GONSALVES: Nós que agradecemos e fiquem ligados que tem muita coisa boa do MX pela frente!

entrevistas