Livros e Publicações Preste Atenção! Reportagens Especiais Caricaturas Parceiros Destaque Coberturas Entrevistas Lançamentos Home
POP JAVALI – Espaço Som – São Paulo/SP – 16/05/14

Postado 20 de maio de 2014 às 05:42

Share |

Texto e fotos por Evandro Camellini

Que o nosso cenário musical, independente do estilo, é um dos mais variados e prolíferos do mundo, isso é inquestionável. Que nossos músicos, em sua boa parte, compõem um time de excelentes instrumentistas, vocalistas e compositores, isso também á fato aceito em todo o globo. E, mesmo assim, ainda não estamos na elite do investimento e do respeito que muitos desses artistas merecem. Isso cria uma situação onde inúmeros talentos acabam por levar suas carreiras da forma mais underground possível, quando na verdade mereciam estar mostrando esse trabalho a todos os ouvidos possíveis.

E foi justamente com um desses talentos que tivemos a oportunidade de ter contato na noite da última sexta-feira, naquele que vem se motorizando como um espaço para pequenas ou emergentes bandas mostrarem seu trabalho, o Espaço Som. O power trio de Hard Rock Pop Javali convocou a imprensa rockeira da cidade para um pocket show, onde apresentariam seu mais recente trabalho de estúdio, o álbum The Game of Fate. Este é o segundo registro da banda, oriunda da cidade de Americana (interior de São Paulo), em seus vinte e dois anos de estrada computados. A banda é formada por Marcelo Frizzo no baixo e vocal, Jaéder Menossi na guitarra e backing vocal, e Waldemar “Loks” Rasmussen na bateria e backing vocal. E, assim que chegamos ao local, encontramos os músicos terminando de passar o som para a apresentação. Os mesmos vieram em pessoa recepcionar os presentes, concedendo rápidas entrevistas antes do início do show. Pouco depois, a assessoria da banda entregou um kit para cada presente da imprensa, contendo seus dois álbuns de estúdio, uma toalha com o logotipo da banda, adesivo e release impresso, mostrando um grande cuidado com sua imagem e profissionalismo em atitude.

E, como o que importava mesmo era conferir o trio no palco, por volta de 22h10 deu-se início ao show. E o que se viu por mais ou menos uma hora de uma eletrizante apresentação foi algo para, no mínimo, fazer pensar. Pensar em tudo o que foi dito na introdução dessa reportagem. Porque, infelizmente, o Pop Javali ainda é um desses talentos incríveis que foram obrigados a viver na sombra da falta de apoio. Não foi preciso mais do que duas músicas para que todos percebessem que ali não estavam apenas bons músicos, mas sim três virtuosos de seus instrumentos. Um dos fatores mais impressionantes no trio é a capacidade de executar frases extremamente intrincadas, sem perder o feeling e a pegada. As músicas possuem solos tanto de guitarra como de baixo. Assim como também estruturas rítmicas “quebradas”, compostas com bom senso e ótima noção musical. Ao longo de onze faixas, tudo isso ficou extremamente explicitado, assim como um entrosamento incrível dos músicos, mostrando que esses anos de estrada juntos maturaram muito e bem essa união. Um dos grandes momentos da noite aconteceu quando, atendendo a um pedido, executaram, segundo eles mesmos sem ensaio, a música YYZ, da banda canadense Rush, expoente do virtuosismo em se tratando de power trios no Rock. Se algum presente ali ainda tinha alguma dúvida sobre o talento dos músicos, após isso seria impossível manter isso!

Ao final do show, a banda atendeu atenciosamente e com muita simpatia a todos os presentes. Rodas de bate papo se formaram com os músicos, onde se pode abordar todo o tipo de assunto com os mesmos. Esse tipo de situação apenas reforça em quem acompanha o cenário musical a qualidade vista ali. Qualidade musical e humana, de três pessoas que acreditam a mais de duas décadas em seu trabalho, que investem, que, como dizem, “correm atrás” de um desejo maior, independente de quanto tempo já tenha se passado de seus primeiros passos. Os três “jovens senhores” pareciam três moleques no palco durante a apresentação. Loks é um palhaço, no bom sentido, não perdendo uma oportunidade para fazer uma graça com o público. Isso deixa claro a diversão colocada no trabalho. Afinal, entreter e divertir são algumas das raízes primárias da arte. E esses três merecem ser chamados, acima de tudo, artistas.

Fica o convite para você, leitor do site, conhecer essa banda. Deixe seus preconceitos de lado, ignore o nome caso a você tenha soado estranho, e dê uma chance para seus ouvidos se surpreenderem. Assim como os meus, e certamente de outros tantos, foram ali e através dos anos de existência desse trio. Vida longa ao Pop Javali! E, esperemos, com muito mais visibilidade e reconhecimento de seu excelente trabalho!

coberturas