Livros e Publicações Preste Atenção! Reportagens Especiais Caricaturas Parceiros Destaque Coberturas Entrevistas Lançamentos Home
ENTREVISTA: RUDY SARZO

Postado 25 de agosto de 2012 às 00:03

Share |

Por Luciano Piantonni

A trajetória do contrabaixista Rudy Sarzo, se confunde com a própria história do Hard e do Heavy Metal no final da década de 70, e inicio dos 80, já que ele tocou em bandas como Quiet Riot, Ozzy, Whitesnake, Dio e Blue Oyster Cult – seu projeto atual é o Animetal USA, onde ele toca músicas de anime, versão Metal ao lado de feras como Michael Vescera (Obssession, ex-Loudness), Chris Impellitery e John Dette (ex-Slayer, Testament), inspirado na famosa banda de mesmo nome, criada no Japão.

Nascido Rodolfo Maximiliano Sarzo Lavieile Grande Ruiz Payret y Chamount, no dia 18 de novembro de 1950, em Havana, Cuba, ele se mudou para os EUA em 1961, ainda menino.

Sua história com na música é bastante conhecida, sendo considerado um dos melhores baixistas do mundo.

Em setembro ele se retorna ao Brasil para se apresentar no projeto Manifesto Legends (27/09 – quinta-feira), do Manifesto Bar (São Paulo), tocando os clássicos das bandas pelas quais passou, com uma banda formada por músicos locais.

Muito simpático – apesar do pouco tempo – Rudy bateu um papo conosco, para falar um pouco sobre sua carreira e o show que fará por aqui.

Você vai se apresentar aqui no Brasil em setembro, no Manifesto Bar, no projeto “Manifesto Legends”. Como será esse show? Você tocará músicas de toda a sua carreira?

Rudy Sarzo: Sim, estarei me apresentando no Manifesto Bar, em São Paulo, em setembro, tocando ao lado de alguns músicos brasileiros. Tocaremos músicas de algumas das bandas as quais toquei, como Ozzy, Whitesanke, Dio e algumas surpresas do Mars Project e sons Quiet Riot, da fase Randy Rhoads era. Eu estou realmente ansioso para celebrar todas essas bandas incríveis ao lado de músicos brasileiros. Isso é algo que eu estava esperando para fazer há um bom tempo!

E como surgiu o convite para voltar ao Brasil?

Rudy Sarzo: Quando eu toquei com o Blue Oyster Cult em São Paulo, fevereiro deste ano, eu falei com o Silvano, o proprietário do Manifesto, e conversamos sobre a possibilidade de eu fazer um show lá, e ele adorou a ideia.

 

Quais são suas lembranças das passagens pelo Brasil?

Rudy Sarzo: Minha primeira apresentação no Brasil foi com Quiet Riot no final dos anos 90, e mais tarde com DIO em meados dos anos 2000. O Blue Oyster Cult foi a terceira banda com quem visitei o Brasil. Eu também estava escalado para tocar aí com o Dio Disciples, em um festival no inicio deste ano, mas infelizmente não pude concretizar. Tocar aí é sempre muito bom, me divirto muito – sempre!

 

Depois de ter tocado ao lado de tanta gente legal, você nunca pensou em criar sua própria banda?

Rudy Sarzo: Eu tenho algumas bandas do momento, incluindo Animetal USA, TRED, Dio Disciples, e quando toco com eles é sempre uma ocasião especial, mas quem sabe eu ainda consiga fazer alguns shows solo, como esse que farei aí no Brasil em setembro.

Durante sua carreira, tocando com todas essas bandas, você compôs músicas que nunca foram gravadas. Já pensou em lançar em um álbum só seu?

Rudy Sarzo: Eu tenho escrito muitas músicas que nunca foram lançadas, mas no momento não tem planos de lançá-los da forma como foram escritas.  Mas talvez eu possa lançar isso no futuro, quem sabe…

 

Qual das bandas que você tocou que mais gostou – e por quê?

Rudy Sarzo: Bem, a banda de Ozzy sempre terá um lugar especial em meu coração desde que se tornou a minha primeira banda de arena. Eu já dormi no chão para ser um membro da banda de Ozzy, vivendo na mansão dele e da Sharon em Beverly Hills. E tocar com músicos incríveis, como Ozzy, Randy, Tommy e ter Sharon como nosso gerente fez daquela experiência algo inesquecível.

Se você tivesse que escolher um entre os discos que já gravou, qual seria o preferido?

Rudy Sarzo: Eu não saberia dizer um! (risos) Mas diria que estou muito orgulhoso dos nossos registros com o Animetal USA!

#

 

Há algo sobre estes registros que você gostaria de compartilhar com os fãs?

Rudy Sarzo: Bem, em cada álbum que eu faço, tem muito esforço, especialmente nos registros do Animetal EUA.  A música é Speed, são versões de anime em forma de Heavy Metal. De longe são as performances mais cheias de detalhes que já gravei (risos).

 

Fale sobre se livro Off The Rails, lançado em 2006. Quais são suas melhores lembranças do Randy Roads?

Rudy Sarzo: Bem, existem tantas memórias de Randy. Você sabe, a razão pela qual eu escrevi o livro foi responder a pergunta nº1 que venho recebendo ao redor do mundo, onde quer que passe: “Como foi tocar com Randy Rhoads?”. Eu sou o único músico que chegou a tocar com ele em ambas as bandas, Quiet Riot e Ozzy, então eu vivi isso, com Randy indo de herói local da guitarra, de  Los Angeles com o Quiet Riot, até se tornar ao lado de  Ozzy a lenda que ele é hoje.

 

Há alguma possibilidade de lançar Off The Rails no mercado brasileiro?

Rudy Sarzo: Espero que no futuro próximo eu tenha uma versão em português do livro, lançado no Brasil. Eu não sei se você está ciente de que, além de o livro ser publicado em Inglês, foi também traduzido em japonês, lançado por lá há alguns anos atrás.

Em todos esses anos em cima dos palcos, qual foi o melhor show para você?

Rudy Sarzo: Há tantos! EUA Festival com Quiet Riot, Day On The Green fest, no dia 04 de julho de 1981, com Ozzy. Whitesnake no Monsters Of Rock, em Donnington, em 1990. Dio no Wacken Fest, na Alemanha…

 

Rudy, como você se define? Quem é Rudy Sarzo por Rudy Sarzo?

Rudy Sarzo: Eu me definiria como um fã que tem sido abençoado em poder dividir o palco com muitos dos meus heróis musicais.

Para encerrar, voocê está preparando alguma surpresa para os fãs? O que eles podem esperar do show de São Paulo?

Rudy Sarzo: Sim, foi como eu mencionei no início da entrevista; no Manifesto será uma celebração de todas as bandas e os grandes músicos com quem eu já toquei.

Obrigado pela entrevista! Vejo vocês no Manifesto Bar!

 

 

entrevistas