Livros e Publicações Preste Atenção! Reportagens Especiais Caricaturas Parceiros Destaque Coberturas Entrevistas Lançamentos Home
ENTREVISTA: TOR – ZUMBIS DO ESPAÇO

Postado 9 de agosto de 2012 às 23:40

Share |

Por Luciano Piantonni

Prestes a lançar seu sétimo álbum de estúdio, e com dezesseis anos de estrada, o Zumbis Do Espaço é uma banda que possui admiradores em todas as vertentes da música, do Punk ao Metal.

Com o título de Nós Viemos Em Paz, e com uma capa assinada pelo mestre Ed. Repka (Evil Dead, Defiance, Nuclear Assault, Massacre, Vio-lence, Municipal Waste, Death, Megadeth, entre muitas outras…), os caras parecem estar melhores do que nunca.

Aproveitamos a deixa para batermos um papo com o vocalista Tor, que deu alguns detalhes desse lançamento.

Tor, conte um pouco sobre o novo álbum do Zumbis do Espaço, Nós Viemos Em Paz.

Tor: Serão 11 novas musicas, é o nosso sétimo álbum de estúdio e o decimo primeiro da carreira contando os  3 ao vivo e uma coletânea que só saiu na Europa – fora os dois DVDs e os 3 EPs.  A produção fluiu bem, gravamos em 3 estúdios diferentes e finalizamos com o produtor Joe Marshall, que já havia produzido meu ultimo disco solo. O disco está com bastante ambiência e bem pesado. Nós procuramos soar o mais orgânico possível.

 

Esse disco sairá em quais formatos ?

Tor: Ele será lançado em CD digipack e LP 12″. Algumas copias devem sair em vinil colorido.

 

Vai rolar videoclipe?

Tor: Sim, com certeza, mas ainda não escolhemos a musica.

Vocês planejaram algum show de lançamento?

Tor: A tour de lançamento já está sendo agendada, teremos shows praticamente todos os fins de semana até dezembro. O primeiro show será dia 1/09 no RJ, depois,  dia 2 tocaremos em Goiânia,  dia 15 em Cascavel no PR, e o Show de lançamento em São Paulo será dia 22 de setembro no Inferno club, a partir das 18h, e as bandas convidadas para abertura são o Leatherfaces e o Fire Strike.

 

Como surgiu esse título?

Tor: A outra opção seria “Fumadores de crack, Glorificadores de Satã e Molestadores de criança“, mas dai achamos melhor algo como Nós Viemos em Paz (risos). Agora é sério, foi a primeira coisa que eu pensei quando vi a arte da capa, tem uma ironia bem no estilo Zumbis do Espaço e acho que combinou bem.

 

E como é que vocês chegaram até o grande artista Ed. Repka para a arte da capa? Lembro que numa conversa você me disse que ele era fã de vocês, certo?

Tor: Cara, eu tenho uma amiga carioca q mora nos EUA há mais de 10 anos e tal, e ela é fã de filmes de horror e sempre postava umas artes do Repka. Eu perguntei se ela conhecia ele pessoalmente, e ela riu e me disse que era o namorado dela, ai ficou fácil (risos) .Ele já conhecia o Zumbis por causa dela e gostava de nossa musica e das nossas artes, um dia nos falamos por telefone e ele me mandou uns rascunhos. Eu escolhi essa arte pois tem todos os elementos do Zumbis nela.

A capa é maravilhosa, nem é preciso dizer que você ficaram babando quando receberam a arte, não é? (risos)

Tor: Posso dizer que a arte até nos motivou a fazer o disco mais rápido! (risos)

 

O guitarrista Machado é o mais novo membro da banda. Qual a contribuição dele nas músicas de Nós Viemos Em Paz?

Tor: Ele compôs duas musicas nesse novo álbum, é um excelente guitarrista, e muitas pessoas acham erroneamente que ele deixou nosso som mais “Metal”, mas a verdade é que ele entrou na banda porque procurávamos um guitarrista com essa característica e que viesse dessa escola, pois esse é o tipo de musica que estávamos fazendo desde o Destructus Maximus , que o antigo guitarrista não conseguia acompanhar. Como eu disse, desde o inicio da banda apenas Eu, o Gargoyle (Baixista) e o Zumbilly (Bateria) cuidávamos das composições, tanto em conjunto quanto individualmente, e pra ser sincero quando compusemos e gravamos o Destructus Maximus vimos que precisaríamos de um novo guitarrista pra acompanhar nosso direcionamento. Tanto que no DM, convidamos o Heros Trench do Korzus para gravar alguns solos, o Joziel Wagner, que já tinha tocado em meus discos solo, e no Aqui Começa O Inferno – e o próprio Gargoyle gravou muitas das guitarras. No novo álbum não foi preciso nada disso, e todos que acompanharam a Destructour viram como a banda está melhor do que nunca ao vivo, desde que o Machado entrou em 2009.

 

Você afirmaria que ele trouxe alguma influência para a banda, ou vocês soam como nos outros discos?

Tor: Como eu disse, musicalmente acho que influenciamos mais ele do que ele a gente, tanto que temos muitas musicas no velho estilo “Zumbis” dos primeiros discos, mas por outro lado a maior contribuição dele foi possibilitar que tocássemos melhor como banda. Pois quando você tem um musico muito bom e responsável ao seu lado, existe uma espécie de cobrança e competição saudável para que nada saia errado.  Nós sempre fomos bons músicos, e nossos álbuns confirmam isso, mas nos anos finais do guitarrista anterior estávamos muito displicentes e até desmotivados em alguns shows, e como banda. É tipo uma sacudida que te acorda e te impulsiona para soar cada vez melhor.

 

Paralelo á banda, você tem sua carreira solo, com alguns discos já lançados. Como é que ela fica no momento? Alguma previsão de lançamento?

Tor: Minha carreira solo é o que eu faço nos intervalos dos compromissos com o Zumbis, é um outro estilo, mais voltado para musica de raiz. Lancei meu terceiro disco ano passado e teve uma grande repercussão. Mas nesse momento minha prioridade e foco é o Zumbis , pois essa banda é que me trouxe até aqui e que me possibilita fazer meus discos solos. Mas assim que terminarmos a tour do Nós Viemos Em Paz, eu devo gravar mais um disco , em 2013 ou 2014.

 

O Zumbis do Espaço já está na estrada desde há 16 anos. Vocês estão pensando em alguma comemoração?

Tor: Na verdade lançamos ano passado um DVD de 15 anos, com a reunião da formação original , ou seja Eu, Zumbilly , Gargoyle e Cromo, nosso primeiro guitarrista e que gravou álbuns clássicos como A Invasão, Horror Rock Deluxe e Abominável Mundo Monstro. Ele havia saído da banda em 1999, após a gravação do Abominável… mas nós sempre mantivemos contato, e acho que ele colaborou muito com a banda nos primeiros anos. Foi uma homenagem nossa a ele. Em 2010 e 2011 ele se juntou a nós para participações junto com o Machado. Quem sabe nos 20 anos de banda a gente faça alguma coisa especial, mas por enquanto estamos mesmo focados nas reedições de nossa discografia em vinil e em CDs em  versões digipack. No novo disco tem uma musica que chama Quebrando A Lei Em `96 que é meio autobiográfica e pode se dizer que é um espécie de homenagem a nós.

 

Para encerrar; O Zumbis do Espaço é uma banda que agrada fãs de diversos estilos como Punk, Hardcore, Metal, Rock, Rockabilly, colocando a galera pra agitar na mais tranquila paz. Qual o segredo disso? (nota: esse é o espirito aqui do HARD AND HEAVY!)

Tor: Cara, eu não sei te responder, poderia dizer que nós demos sorte, mas acho mais correto dizer que isso foi um reconhecimento do publico pela nossa atitude. Nunca nos policiamos ou pertencemos a nenhuma cena. Todos na banda amamos a musica verdadeira, independente do estilo. Eu tinha 14 anos quando o Ride The Lightining do Metallica foi lançado, e lá já tinha isso tudo, Metal, Punk, HC, (só que a gente não sabia! (risos)), tocado de uma maneira magica e única, que explodiu minha mente. E de repente, pra mim tudo ficou claro. Eu podia ouvir Black Sabbath e Ramones e amar essas bandas da mesma maneira. Botamos um pouco de Country e Rockabilly nisso, mais as letras insanas do Misfits antigo com Danzig, Cramps, filmes de Horror e quadrinhos e dai fudeu… Não tivemos medo de cantar em português, nem de falar o que pensávamos. Antes de sermos honestos com os fãs, fomos Honestos com nós mesmos. Acho que esse foi o segredo!

Confira a nova música, Apenas Um Psicopata:

 

entrevistas