Livros e Publicações Preste Atenção! Reportagens Especiais Caricaturas Parceiros Destaque Coberturas Entrevistas Lançamentos Home
CD: SOILWORK – The Ride Majestic

Postado 23 de outubro de 2015 às 01:51

Share |

SOILWORK
The Ride Majestic
Nuclear Blast – imp

Novo álbum do Soilwork é sempre cercado de expectativas e não seria diferente com esse, mas a expectativa aqui pode não ter sido correspondida para todos os fãs.

The Ride Majestic traz tudo que compõe o som da banda sueca, mas logo de cara nota-se um apelo mais melódico do álbum, não tão “homogêneo” quanto de costume.

A faixa-título abre o disco de forma típica, com peso, arranjos de guitarra riquíssimos, bumbos duplos absurdos e os berros de Bjorn Strid passando para vocais limpos no refrão. “Alight in The Aftermath” vem furiosa, com direito à blast beats e riffs que beiram o Black Metal e é uma das melhores do disco. Aí “Death in General” vem na pegada mais melódica citada. Boa, cativante, mas já dá numa esfriada no ouvinte.”Enemies in Fidelity” traz batida Hardcore, arpejos chatos de guitarra e várias passagens de vocais limpos, inclusive (novamente!) no refrão que é composto de uma batida violentíssima, mas fica uma flor por conta do vocal “bonitinho”. E assim segue todo esse excesso melodioso de guitarras e voz em todo o disco.

Aí vem a pergunta: Mas a banda não é de Death Melódico? Problema é que ela está se deixando tomar pelo Melódico e o lado Death mesmo não mata mais nem barata.

Não, The Ride Majestic não é um disco ruim. Mas pegue “The Phantom”, por exemplo, um Black/Death maravilhoso, de riff cortante, que seria perfeito se não apelasse ao lado “mocinha”. E nisso fica a amostra de que a banda parece mesmo não estar mais sabendo acertar tão bem sua fórmula, pecando por excessos exibicionistas desnecessários.

Se seguir nessa pegada, até os fãs dos caras que são mais modernos e mente aberta vão acabar se limitando ao seu passado, no melhor estilo fã xiita de banda tradicional.

Vamos acordar, suecada!

Heverton Souza.

 

lancamentos